Infraero e Fraport firmam contrato para serviços de desemborrachamento na pista do Aeroporto de Fortaleza …

A Infraero firmou um contrato com a Fraport Brasil – Fortaleza para execução de serviços de remoção de borracha na pista de pousos e decolagens do Fortaleza Airport, no Ceará. A Infraero deverá fornecer todos os equipamentos, máquinas, ferramentas e mão de obra necessários para a realização dos trabalhos na pista do terminal cearense.

O serviço de desemborrachamento é uma atividade de manutenção realizada sistematicamente por hidro jateamento, que consiste na retirada da borracha deixada pelas aeronaves no momento do pouso, sem danificar a superfície do pavimento. Os procedimentos a serem executados ocorrerão em horários devidamente programados pelo aeroporto e seguirão todos os critérios de segurança operacional da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que estabelece requisitos de aderência para pistas de pousos e decolagens.

Os trabalhos estão sendo conduzidos por uma equipe especializada, lotada na Coordenação de Serviços Compartilhados de Manutenção da Infraero, em Recife (PE).

A presidente da Infraero, Martha Seillier, destaca que a assinatura do contrato vai ao encontro do novo posicionamento de mercado da empresa. “A Infraero tem uma expertise única, com mais de 46 anos realizando um trabalho de ponta nos aeroportos de País, lado a lado de grandes players do setor aéreo mundial, como a Fraport”, disse. “Com o novo posicionamento estratégico da empresa, a Infraero reforça sua atuação como prestadora de serviços aeroportuários de excelência, criando ainda mais valor para os clientes e contribuindo com o desenvolvimento do Brasil”.

Martha acrescenta que a gestão de aeroportos também figuram como prioridade para o futuro da Infraero. “A administração de aeroportos faz parte do DNA da Infraero e, com a empresa mais enxuta, queremos ampliar a nossa atuação no desenvolvimento da infraestrutura aeroportuária regional”, afirmou Martha Seillier.

Fonte: Avião Revue

Globalia anuncia planos de operação para o Brasil

Globalia anuncia planos de operação para o Brasil …

Globalia anuncia planos de operação para o Brasil

Identificar oportunidades de atuação e concluir rapidamente um plano de negócios para o Brasil. Essa é a meta estabelecida pela empresa Globalia, responsável pela primeira aérea com capital 100% estrangeiro a obter autorização do governo federal para operar voos no Brasil. A direção da companhia informou que entre os estudos que serão feitos estão as rotas que poderão ser comercializadas pela Air Europa. Há ainda, a expectativa da transportadora desenvolver no Brasil o modelo de gestão hoteleira já aplicado na Europa e no Caribe. Em colaboração com a Organização Mundial do Turismo (OMT), a Globalia criou o primeiro HUB de inovação no turismo, uma plataforma que gera interação entre os setores públicos, privado, empreendedores e investidores para identificar as novas empresas que irão liderar a transformação do setor turístico no mundo. Neste momento, a plataforma Wakalua está trabalhando no desenvolvimento de um programa de grande impacto para o desenvolvimento de um ecossistema empreendedor nesta indústria, que deverá ser anunciado nos próximos dias.  O Grupo Globalia está presente em mais de 20 países e conta com 15 mil empregados em serviços de todos os segmentos do turismo. Possui uma série de companhias independentes, como a Air Europa, a Travelplan e a Be Live, entre outras. Foto: Renato Oliveira

Fonte: Revista FLAP

França adianta desenvolvimento do Helicóptero Leve Conjunto

França adianta desenvolvimento do Helicóptero Leve Conjunto …

França adianta desenvolvimento do Helicóptero Leve Conjunto

A França anunciou que o lançamento do programa “Helicóptero Leve Conjunto” foi adiantado para 2021. O programa HIL, para o qual o modelo H160 da fabricante Airbus foi selecionado em 2017, estava com lançamento programado para 2022, de acordo com a atual lei de orçamento militar. Ao antecipar o cronograma, será possível que a entrega dos primeiros exemplares para a Força Armadas francesas seja adiantada para 2026. O helicóptero também recebeu seu nome oficial e será chamado de “Guépard” (guepardo). O H160 foi desenvolvido para ser um modelo modular, permitindo a configuração de uma versão militar com plataforma única para execução de missões que vão desde infiltração de unidades militares a interceptação aérea, apoio de fogo e missões antinavios, de modo a atender às necessidades do exército, marinha e aeronáutica por meio do programa HIL. Construído com base em uma plataforma que entrará em serviço no ano que vem, o programa HIL se beneficiará de muitas das vantagens já presentes no H160 de aviação civil, especialmente no que diz respeito ao suporte, com uma manutenção simplificada e custos operacionais mais baixos do que os de helicópteros de gerações passadas da mesma categoria. Foto: Airbus/Eric Raz

Fonte: Revista FLAP

Programa LATAM fidelidade é destacado em webserie

Programa LATAM fidelidade é destacado em webserie …

Programa LATAM fidelidade é destacado em webserie

A companhia aérea LATAM Airlines Brasil está lançando uma webserie com episódios que reforçam o posicionamento do seu programa de fidelidade. Os vídeos vão reforçar os atributos que o fizeram ser o mais competitivo do mercado. Além da malha aérea que conecta a região ao resto do mundo, os episódios vão tratar da facilidade e as vantagens na hora do resgate dos bilhetes aéreos, que estão disponíveis até o último assento, o acúmulo e os benefícios como upgrade de cabine cortesia, acesso a salas VIP e as facilidades da aliança Oneworld. Além de estar disponível para os viajantes, o conteúdo da webserie também está disponível no site da companhia. O primeiro flime pode ser visto no endereço https://www.youtube.com/watch?v=L1I8hs7aYhg .

Fonte: Revista FLAP

Aerolíneas Argentinas transporta 6% mais passageiros em abril

Aerolíneas Argentinas transporta 6% mais passageiros em abril …

Aerolíneas Argentinas transporta 6% mais passageiros em abril

A companhia aérea Aerolineas Argentinas superou em 6% o número de passageiros transportados em relação ao mesmo mês do ano anterior. No total, 798.943 viajantes voaram para os 37 destinos que a empresa cobre na Argentina. Por outro lado, na rede internacional, foram transportados 266.343 passageiros, cumprindo o projetado para o mês. Enquanto isso, a taxa de ocupação dos voos foi de 80,2%, ou três pontos acima do mesmo período de 2018 e 1% acima do projetado para abril. Esse é outro indicador que verifica a recuperação das vendas que desde março, vêm experimentando um aumento significativo e que levou a empresa a recuperar cinco pontos de participação de mercado, chegando a 66%. Por sua vez, a pontualidade atingiu 89,1%, o que significa uma melhora no desempenho de quatro pontos em relação ao mês anterior e de 2,8% em relação a abril de 2018. Foto: Paulo Berger

Fonte: Revista FLAP

Avianca Holdings transporta mais de 2,4 milhões de passageiros em abril

Avianca Holdings transporta mais de 2,4 milhões de passageiros em abril …

Avianca Holdings transporta mais de 2,4 milhões de passageiros em abril

As companhias aéreas integrantes da Avianca Holdings receberam durante o último mês de abril um total de 2.465.882 passageiros, registrando um decréscimo de 0,4% em relação ao mesmo mês de 2018. A capacidade aumentou 4,4% e o tráfego de viajantes cresceu 3,6% no período. Como resultado, a taxa de ocupação foi de 81,3%, apresentando uma redução de 0,7 ponto percentual em relação ao mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano, as divisões transportaram um total de 10.202.916 passageiros, um aumento de 3,1% em comparação com o primeiro quadrimestre de 2018. A capacidade aumentou 7,5%, enquanto que o tráfego de viajantes subiu 5,8%, registrando uma ocupação média de 81,9%. Foto: Paulo Berger

Fonte: Revista FLAP

Mudança da CSALP para Airbus Canada Limited Partnership entra em vigor

Mudança da CSALP para Airbus Canada Limited Partnership entra em vigor …

Mudança da CSALP para Airbus Canada Limited Partnership entra em vigor

A mudança de nome da fabricante CSALP para a Airbus Canada Limited Partnership, anunciada em março deste ano, entrará em vigor 1º de junho. O novo nome reflete a participação majoritária da empresa europeia na parceria desde 1º de julho de 2018. Ao longo das próximas semanas, o novo nome será aplicado à documentação, materiais e itens de marca da parceria limitada. Os logotipos da Airbus e da Bombardier continuarão a ser exibidos lado-a-lado no exterior do prédio em Mirabel, refletindo as atividades de produção no local para as famílias de aeronaves Airbus A220 e Bombardier CRJ. A sociedade limitada emprega aproximadamente 2.200 em sua sede e instalações de fabricação em Quebec. A segunda unidade de produção do A220 em Mobile, Alabama, começará as atividades no terceiro trimestre de 2019.

Fonte: Revista FLAP

IATA alerta que empresas do setor aéreo deverão se preparar para novo sistema de controle de carga e trânsito

IATA alerta que empresas do setor aéreo deverão se preparar para novo sistema de controle de carga e trânsito …

IATA alerta que empresas do setor aéreo deverão se preparar para novo sistema de controle de carga e trânsito

Já está em fase de desenvolvimento o novo módulo de Controle de Carga e Trânsito modal aéreo (CCT – Aéreo), do Portal Único, desenvolvido em conjunto pela Receita Federal do Brasil e a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. A Secretaria Nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura (SAC/MInfra) e a Associação Internacional do Transporte Aéreo chamam a atenção de todos os envolvidos no transporte internacional de carga pelo modal aéreo, para que promovam os ajustes necessários em seus processos, a fim de se adequarem ao novo sistema. Esse é um projeto que vem sendo desenhado com a participação do setor aéreo desde 2017, incluindo várias rodadas de reuniões com operadores aéreos, aeroportuários e agentes de carga, bem como visitas aos principais terminais de carga do Brasil. Como resultado da interlocução, a equipe de desenvolvimento do projeto irá adotar o padrão IATA Cargo-XML para troca das mensagens eletrônicas XFFM, XFWB, XFHL e XFZB. Segundo o cronograma de implantação, disponibilizado na página do Portal Siscomex, o novo módulo deverá ser integrado à DI e homologado até dezembro de 2019. Por fim, a SAC/MInfra e a IATA mais uma vez se prontificam a continuar a parceria e a coordenação entre os agentes privados e públicos para o sucesso do projeto.

Fonte: Revista FLAP

Aeroporto de Congonhas ganha novo espaço de convivência

Aeroporto de Congonhas ganha novo espaço de convivência …

Aeroporto de Congonhas ganha novo espaço de convivência

Para aprimorar o conforto e a experiência de quem passa pelo Aeroporto de Congonhas/SP, a Infraero está oferecendo um novo espaço de convivência no saguão central do terminal paulistano. A ação vai ao encontro do 46º aniversário da estatal. O projeto contempla a inserção de 130 assentos com novo mobiliário e decoração paisagística para transformar o espaço num ambiente mais acolhedor. A modernização substitui as antigas longarinas por poltronas dotadas de tomadas para celular, criando um amplo lounge que convida o usuário para descanso ou bate papo. A ambientação é uma proposta da Infraero que deverá ser ampliada posteriormente para as salas de embarque de Congonhas, por meio de processo licitatório. O aeroporto também receberá ao longo do ano diversas intervenções de revitalização e será todo repaginado. O cronograma de trabalho planejado compreende a recuperação da fachada externa e do piso do terminal, substituição do sistema de iluminação e instalação de nova climatização do saguão central.

Fonte: Revista FLAP

Anac recomenda veto a proibição de cobrança de bagagem …

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) recomendou que o governo vete a parte do projeto de lei aprovado no Congresso Nacional que proibiu a cobrança de franquia de bagagem por parte das companhias aéreas em voos domésticos. A manifestação da agência consta de nota técnica encaminhada hoje (30) ao Ministério da Infraestrutura.

Na semana passada, o Congresso Nacional aprovou a Medida Provisória 863/18 que liberou 100% de participação de capital estrangeiro nas empresas aéreas do país. Um emenda no texto, também aprovada, retomou a gratuidade para bagagem de até 23 quilos (kg) em aviões com capacidade acima de 31 lugares, nos voos domésticos. O texto estabelece ainda a gratuidade de até 18kg para as aeronaves de 21 a 30 lugares, e de até 10kg se o avião tiver apenas 20 assentos.

O projeto agora aguarda a sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro, que tem a prerrogativa de vetar trechos da proposta. Ontem (29) o porta-voz da presidência, Otávio Rêgo Barros, disse que o presidente vai analisar estudos de órgãos vinculados ao governo para decidir se mantém o despacho gratuito de bagagens.

A cobrança por franquia de bagagem foi liberada pela Anac em 2016. Uma resolução da agência reguladora estabeleceu que as empresas poderiam cobrar pelo despacho de bagagem e que o passageiro teria o direito a levar, na cabine da aeronave, apenas uma bagagem de mão de até 10kg.

O projeto aprovado no Congresso Nacional diz ainda que no caso de voos internacionais, o franqueamento de bagagem será feito pelo sistema de peça ou peso, até o limite de 32kg, segundo o critério adotado em cada área.

“A cobranc¸a de servic¸os a` parte da tarifa incrementou as possibilidades de diferenciac¸a~o de produtos e discriminac¸a~o de prec¸os no setor ae´reo. Na pra´tica, isso se refletiu em uma maior possibilidade de concorre^ncia entre as empresas, que passaram a concorrer na~o apenas por prec¸os, mas tambe´m pela qualidade, por meio dos tipos de produtos ofertados. Isso representa, tambe´m, mais opc¸o~es e transpare^ncia aos consumidores do transporte ae´reo”, disse a Anac na nota.

CADE TAMBÉM RECOMENDA VETO

Nesta semana, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) também se manifestou sobre o projeto. Em ofício enviado à Casa Civil na terça-feira (28), o conselho também recomendou veto ao trecho que determina o fim da cobrança pela franquia de bagagem.

De acordo com o documento, a manutenção da medida afeta os investimentos no mercado aéreo e prejudica a concorrência no setor, podendo “impactar diretamente o modelo de negócios das empresas aéreas de baixo custo (low cost) que estão entre as principais interessadas em entrar no Brasil”.

Fonte: PANROTAS