Amelia Earhart: a primeira aviadora a atravessar a América do Norte de ponta a ponta

É muito importante trazer pessoas que fizeram história na aviação. É para inspirar, é para compartilhar, com vocês Amelia Earhart. A primeira mulher a atravessar o Oceano Atlântico com um aviãoteve uma infância feliz e uma adolescência difícil. Não conseguia terminar os cursos e também tinha dificuldade de permanecer num trabalho. Nascida em 1897. Aos 23 anos, ela ganhou um passeionum pequeno aeroporto em Long Beach, na Califórnia (EUA). Ao decolar com o piloto Frank Hawks, sentiu que era isso que queria fazer.

Em agosto de 1928, ela se tornou a primeira aviadora a atravessar a América do Norte de ponta a ponta, ida e volta. E o mais importante: em 1932, com um Lockheed Vega 5B, tomou-se a primeiramulher a atravessar o Oceano Atlântico em voo solo. Quando se tornou a 16ª mulher da história a receber uma licença de piloto, em 1923, ela já tinha batido um recorde: meses antes, alcançou a altitude de 4.300 m, o mais alto que qualquer voadora já tinha chegado.

Em 2 de julho de 1937, seu avião desapareceu depois de deixar a Papua Nova Guiné durante uma tentativa de cruzar o planeta. A tragédia só fez a lenda aumentar: ela teria sobrevivido e moradonuma ilha ou sido sequestrada por japoneses, ou retornado para os Estados Unidos com outro nome. Ainda hoje os ossos de Amelia são procurados no Oceano Pacífico.

SEUS GRANDES ACERTOS

Mudou a aviação Mais do que provar que mulheres poderiam ser pilotas, Amelia também convenceu o público americano de que aviões eram o futuro

Revolucionou o casamento Ao se unir a seu empresário, George Putnam, ela se recusou a mudar de nome e fez questão de dividir tarefas e dinheiro de igual para igual

Influenciou a moda As roupas da marca AE tinham que ser fáceis de lavar: para Amelia, as mulheres não podiam passar o dia fazendo faxina.

SEUS GRANDES FRACASSOS

Falhou na comunicação É provável que o último voo tenha acabado em tragédia por culpa de um erro na escolha da frequência de contato por rádio. O aparelho era novo, mas, impaciente paraseguir viagem, Amelia e seu copiloto Fred Noonan não pararam para estudar como ele funcionava

Abusou dos riscos

Com voos cada vez mais difíceis e com menor tempo de preparo, a aventureira americana começou a se colocar em situações muito perigosas. Já havia sofrido alguns acidentes graves, incluindo erros na aterrissagem.

Fonte: https://super.abril.com.br/mundo-estranho/mulheres-que-mudaram-a-historia-amelia-earhart/

Gostou? Comparilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp
Shopping Basket